Vida de Freelancer

De 31 para 1 não muda nada.

Marca uma reunião, onde só vais tu.

Sim, as coisas não mudam de um dia para o outro. Dia 31 de Dezembro o sol está lá e dia 1 de Janeiro vai continuar a estar, com mais ou menos frio, com mais ou menos chuva, mas os dias vão ser iguais. E nós também. Por isso, mudanças de vida, de religião ou até de trabalho podem ser ilusão. Ou então não.

Costumo contar esta história em todos os workshops online starter que dou, e continua a fazer sentido, para mim.

Em tempos, um dos meus colegas, numa agência por onde passei, veio com a teoria de que no final do ano tínhamos de escrever num papel as nossas resoluções. Tinha ele lido um estudo, que a maioria das pessoas que escrevia o que queria alcançar no novo ano, conseguia superar os seus objectivos.

Verdade ou não, teoria ou não, é que todos nós escrevemos nesse ano um post-it com o que queríamos fazer para o novo ano. E, desde então tenho feito assim. Às vezes arranjo um caderno bonito, outras vezes até é mesmo num post-it que guardo na carteira. Mas eu acredito nesta teoria, neste contracto escrito que fazemos connosco, nesta maneira de exprimirmos o que realmente queremos fazer e não deixar apenas na nossa cabeça [não sei quanto à vossa mas a minha já começa a ter muitos terabytes ocupados].

Ideias temos muitas, e sonhamos, e sonhamos muito, mas o facto de escrevermos o que queremos fazer, alterar ou mudar “obriga-nos” a verbalizar, a pensar com mais afinco na realidade das coisas. E, só por isso, é meio caminho para conseguirmos alcançar o que queremos. Logo, nesta fase, já estamos a dar o pontapé de saída, para o mais difícil, pelo menos achamos nós que é difícil começar. Mas começar pode ser a fase mais emocionante e desafiadora que temos pela frente.

Se de um dia para o outro tudo muda? Pode ser que sim. Porque quando não temos um plano bem definido, quando até nem temos pressa ou ideia do que queremos fazer, a aventura de um novo ano que começa ajuda-nos a avançar e a mudar. É como se a mudança de ano nos empurrasse e nos desse uma mãozinha para fazermos o que queremos. E daí o desafio, o que vais querer para 2017?


tribe-land-freelancer

És a pessoa mais importante nesse dia, e o teu projecto, aquilo que fazes é hoje tema de conversa. Durante o ano, andamos com trabalho, reuniões, clientes, horários e prioridades e a nossa marca fica para segundo plano. Verdade? Algum dia, vamos ter de parar. Avaliar e pensar no que podemos fazer mais, de modo a garantir que evoluímos, que mudamos, que nos actualizamos e que conseguimos pôr em prática aquelas ideias que ainda não tivemos tempo.

  • Aproveita uma viagem de carro, de avião e leva um caderno.
  • Vai conhecer aquele café bonito que abriu recentemente e senta-te na mesa do canto, pede um café grande e começa a escrever o que queres fazer.
  • Combina um pequeno-almoço com aquela amiga ou amigo que conhece bem o teu negócio, e que juntos podem até ter ideias para ambos. Façam um brainstorming enquanto desfrutam um belo croissant. Quem sabe não nasce uma parceria ou um projecto em conjunto.
  • Não vejas o email, põe o telemóvel no silêncio.

Estes podem ser os momentos mais importantes de qualquer marca ou negócio, porque podem nascer aqui os pontos que vão fazer crescer a tua marca e evidenciar-se no mercado. E tudo pode ser feito, num momento a sós, com o nosso caderno mais bonito.


Aponta o dedo. A ti.

É fácil, e é a melhor maneira de nos superarmos. Temos de fazer esta parte, só assim vamos perceber o que podemos mudar. E quando falo em mudar, digo mesmo na nossa logística, nos nossos procedimentos.

  • Onde é que perdemos mais tempo? Estamos a conseguir dar conta do recado, demoramos muito tempo a responder?
  • Que conflitos tivemos e como os podemos prevenir?
  • Precisamos de ajuda? Temos de estar preparados para pedi-la.
  • O que correu mesmo mal? Podia ser evitado? Como?

Palmadinhas nas costas

Merecemos. E como dizia “o outro” – se eu não cuidar de mim, quem cuidará? 🙂

Mas assim como nos apontamos o dedo, é aqui que vamos perceber, e às vezes nem nos apercebemos durante o ano, que houve coisas que funcionaram bem.

  • Houve alguma surpresa boa? Como proporcionar mais?
  • O que te deixou contente? Repete.
  • Projectos que ficaram a meio? Porquê? Se calhar agora é a altura certa.
  • Tiveste mais vendas ou procuras em algo que não estavas à espera? Boa! Segue por aí.
  • Bons feedbacks dos teus clientes? Partilha-os.

O desafio é mesmo parar. Parar de trabalhar por um segundo, por uma manhã, por um dia, para nos dedicarmos a nós e àquilo que queremos. Vai ser o tempo mais valioso para todo o ano que aí vem. Vai ser o teu momento, o ponto de viragem. É difícil, e a verdade, é complicado parar, mas o mundo não pára e nós também não. Estamos cá todos os dias, a fazer algo que queremos, que queremos mesmo muito e gostamos. Por isso, queremos fazer mais. Parar uma manhã, não custa. A sério, não custa mesmo e vai valer muito a pena. Desafia-te.

4 Comentários
Artigo Anterior
7 Dezembro, 2016
Artigo Seguinte
7 Dezembro, 2016

4 Comentários

Deixar comentário

Relacionados

Instagram

  • Hello weekend! 😊
  • Pequeno esquimó ❄️
  • Tudo de quarentena em casa! 😷🤒 não parece mas está tudo doente...
  • Sunday’s at work and I like it. A minha Base tem estado tão bonita e colorida nas últimas semanas! 😁👉🏻 @ireneillustrationschool
  • Always looking forward!! I’ve been working on a new studio. My design studio @abasestudio 😊 the doors are now open. E houve festa, casa cheia e eu e a @ritacvlove terminámos a noite a dar cabo das pipocas da @joanamlimao 😜 📷 @rscapture 💄 @lara.mourisca
  • Monday's like this 😍 começar a semana assim e pensar que setembro não passou, ultrapassou-me sim por todos os lados e o tempo correu sempre à minha frente. 😂

Follow Me!