Vida de Freelancer

Aqui, quem manda sou eu.

Não que eu tenha isto em mente, mas a título de curiosidade fui contar os anos. Mais precisamente, 5 anos, sem patrão. Chefe. Director… o nome que quiserem dar a quem temos de prestar contas no trabalho. Não foi a decisão que eu queria na altura, ou pelo menos julgava eu não estar preparada para me virar sozinha. Mas depois de um chefe mauzinho, um patrão ainda pior e uma carta de despedimento, tive mesmo de me virar sozinha. Arranjei um chefe melhor e, um patrão como eu — promovi-me a tal.

Hoje, sou o que sou, porque o destino assim me cruzou. Virei-me. Sozinha, com ajuda, e com sonhos. Se era para trabalhar para mim, que fosse por mim. E, por vezes, temos de nos lembrar disto, é por nós. Porque queremos ser independentes, porque queremos fazer o que realmente gostamos, por isso, façamos. Podemos escolher o que queremos, e o que não queremos fazer.

Agora, não vamos ter ilusões, é tudo mais trabalhoso, mais intenso e muito mais emocional. Afinal, estamos a vestir a pele do patrão, do trabalhador, do contabilista, do account e por aí fora. Trabalhamos mais, fazemos mais também e, por mim falo, tenho muito mais orgulho agora nas minhas conquistas e no trabalho que tenho vindo a construir. Não interessa se o nosso 100% é menor que outros, o que interessa é que trabalhamos por nós, por isso, é o nosso empenho e a nossa personalidade que fazem o factor único nos nossos serviços. Podemos ter uma marca com um grande nome, ou não, mas o objectivo é trabalharem connosco, pessoas com pessoas. Sonhos com histórias e sucessos. O resto acontece.

Hard work. Better life.

 

1 comentário
Artigo Anterior
26 Abril, 2017
Artigo Seguinte
26 Abril, 2017

1 comentário

  • Freelancing, no Dia Digital do Factory Braga com Filipa Simões de Freitas

    […] Perante os desafios que temos pela frente, cada um de nós reage à sua maneira. Por isso, o método de como eu abordo, por exemplo um cliente, não tem de ser um método igual para outros freelancers. Cabe a cada um de nós arranjar os seus meios e mecanismos de organização de modo a ter a capacidade de gerir o seu próprio trabalho. Não há uma fórmula que eu possa dizer em como organizar o dia da melhor maneira, para, por exemplo, conseguir responder aos emails todos num dia. Não há fórmulas universais, mas sim mecanismos, rotinas nossas, que implementamos e fazemos à nossa medida. […]

Deixar comentário

Relacionados

Instagram

  • Tudo começa por uma ideia que passa depois para o papel. E depois é construir 🙌🏻 #vaiacontecer #abasestudio
  • Mummy little helpers 👭Os mestres de obra vieram fazer a inspecção 😂
  • Não tem sido combinado nem de propósito mas o início de setembro tem sido marcado por fotos deste género 😅 a sintonia que me move, assim me puxa para tal, e mais uma vez setembro vai ser o meu mês de concretizações pessoais! Principalmente de crescimento. São tantas as novidades e mudanças que até tenho medo de as começar a contar 😁 mas amanhã já começam as novidades! 🙌🏻
  • Todos me querem mudar o chão. Está em bruto, tem buracos, riscos e está tordo. Mas fazer o quê? Eu gosto dele mesmo assim! Nem tudo é perfeito e direito mas sim diferente e com personalidade. E por agora é a mesa de trabalho 😅#ochaofica
  • Nunca foi tão importante para mim apoiar-me e receber conselhos de várias pessoas como nesta altura. Hoje começo uma nova etapa de tudo… de mim, do meu trabalho, das pessoas. Basicamente uma nova etapa na minha vida! Tenho um discurso na cabeça ao estilo de “óscares” com nomes que tenho de mencionar e acima de tudo agradecer, porque de facto tenho tido o apoio de muitos e companhia ao longo destes últimos tempos. Mas hoje, começo por brindar a uma só pessoa, a mim. Por ter a sorte de me cruzar com vocês, por ter o privilégio de trabalhar grandes projectos, e por partilharem comigo os vossos sonhos. Hoje partilho o meu: aqui vai nascer um novo espaço! 
E como prometido, e o primeiro conselho que tive, começo assim, um brinde a todo este movimento. O resto vem. #brindemos
  • I'm so doomed 😬 #homemadegin 🍸🙈😜

Follow Me!