Vida de Freelancer

Freelancing, no Dia Digital do Factory Braga

Freelancing Factory Braga

“Filipa, queres vir a Braga falar um pouco sobre o teu trabalho, e como é a vida de quem trabalha num mundo freelancing?” — Sim, quero. Foi o suficiente para este evento ter acontecido, e eu ter batido rota a Braga. Fiquei muito contente com o convite, e claro, era também uma oportunidade de estar novamente com a Monica.

No dia 30 de Junho, o Factory Braga promoveu o Dia Digital com 3 talks bastantes interessantes:

  • Duelo entre Snapchat e Instagram, com Naiara Back
  • Growth Hacking, com José Fernandes da Bloomidea
  • Freelancing: o melhor de dois mundos, com a participação de Monica Aragão, Paulo Soares, e eu (Filipa Simões de Freitas)

Uns dias antes comecei a pensar: Ai! Vou a Braga falar do quê?! E se depois não digo nada de jeito?! Verdade, verdadinha, a organização foi muito boa, e isso ajudou-me bastante. E, claro, falar daquilo que eu faço, e como faço, nunca foi um problema para mim. Acredito que isto é fácil porque realmente gosto do que faço e tenho bem a certeza do que quero continuar a fazer.

Falar sobre freelancing, é um tema que pode divergir para várias horas e por vários caminhos, e neste espaço, em que debatemos algumas questões que nos foram colocadas deu para perceber isso. Eramos 3 pessoas com experiências diferentes, conclusões muito semelhantes e pensamentos próprios de cada um. E tanto para nós, que nos assumimos como freelancers, termos noção de outras realidades é super produtivo. É nesta altura que crescemos mais um bocadinho ao partilharmos a nossa experiência e a ouvir outras.

Pensamentos que trouxe comigo sobre Freelancing:

Ser freelancer não é para todos.

Foi algo que nós os 3 já tínhamos comentado na sequência de algumas partilhas antes mesmo de começar a talk. Não é fácil nem difícil ser freelancer, mas requer aquilo que podemos chamar “jogo de cintura”, muita organização e temos de ter em nós o espírito de liderança. Pode parecer um pouco, uma verdade dura de se ouvir, mas é algo que foi conclusivo na nossa conversa.

Métodos diferentes, objectivos iguais.

Perante os desafios que temos pela frente, cada um de nós reage à sua maneira. Por isso, o método de como eu abordo, por exemplo um cliente, não tem de ser um método igual para outros freelancers. Cabe a cada um de nós arranjar os seus meios e mecanismos de organização de modo a ter a capacidade de gerir o seu próprio trabalho. Não há uma fórmula que eu possa dizer em como organizar o dia da melhor maneira, para, por exemplo, conseguir responder aos emails todos num dia. Não há fórmulas universais, mas sim mecanismos, rotinas nossas, que implementamos e fazemos à nossa medida.

Surpresas boas

Surpresas boas no final deste dia, foram as pessoas, que me ouviram, que nos ouviram, e que vieram agradecer no final, elogiar até. Fiquei para morrer de contente! E uns dias depois, um colega meu de faculdade que tirou o mesmo curso que eu, veio dar-me os parabéns, tanto pela talk, como a inspiração de também ele querer mudar e fazer o que realmente quer. Bolas! Fiquei comovida.

Queria guardar este vídeo, porque até eu vou precisar de me ouvir novamente, e ouvir a partilha de colegas que se juntaram a mim neste dia, no Factory Braga. E que melhor sítio para guardar se não aqui no blog. Até porque vejo o blog, como o meu “álbum” de ideias e momentos que quero guardar.

Sem comentários
Artigo Anterior
18 Julho, 2017
Artigo Seguinte
18 Julho, 2017

Sem comentários

Deixar comentário

Instagram

  • Christmas brunch @atelier.th2 let’s go 🎄🙌🏻 @catarinavarao @luisneto_1981
  • Ho! Ho! Ho!
  • Para grandes males. Grandes doces! 😂🙈 #donuts #christmasfood #eunabase
  • Uma mão cheia de coisas 🎉 🎂
  • December. Beach. Holiday. 🎄 ☀️
  • Empty roads 🧐

Follow Me!