Vida de Freelancer

Se é tão fácil fazer o meu trabalho, porque é tão difícil para mim fazê-lo?

Vida de designer
Pensamento idiota ou até parvo, mas aqui vai:

Se é tão fácil fazer o meu trabalho, porque é tão difícil para mim fazê-lo?

Digo difícil, porque são todos diferentes, os trabalhos, cada briefing segue um caminho diferente e autónomo, e cabe a mim seguir este caminho, ver até onde vou, até onde consigo ir. Podemos chamar de processo criativo, e, é aqui que tudo acontece, é com base nesta jornada que depois defendo e justifico as minhas opções. A simples questão de: não é amarelo, é verde porque isto, isto, isto e mais isto. As coisas aparecem feitas por várias razões, razões que assentam na leitura da marca, do target, dos serviços que vão ter, da nossa experiência, e muitas outras coisas que só nós sabemos.

É fácil fazer um logotipo, é fácil escolher cores e combinar letras, afinal não passa tudo de combinações de formas. É fácil, e qualquer um pode fazer. É isto que ultimamente se lê muito, não é literatura de agora, mas ultimamente escreve-se muito sobre isto. A tal polémica, da tal revista, que todos os designers, e criativos, foram chamados a intervir. E logo a seguir mais um ou dois artigos noutros www’s com a mesma ideia.

Estas coisas mexem connosco, uns ficam mais irritados, outros revoltados, outros nem ligam, e eu sinceramente nem sei como catalogar. A indignação existe, claro. Pinta-se o nosso trabalho como algo tão fácil, sim o nosso trabalho, aquilo que fazemos todos os dias, e pelo que respondemos. E por grande maioria nossa, foi o que escolhemos fazer porque é neste modo de vida que acreditamos, e somos bons.

Mas com estas histórias, acho que cabe a nós também mostrar o nosso trabalho, não só o final, mas o processo, a partilha. Nós designers, não somos bichos atrás de um ecrã a fazer desenhos em 5 minutos. Também nos relacionamos, sim principalmente criamos relações, com os clientes, com os clientes dos clientes, com as marcas, etc.

Uma das grandes “lutas” que tenho assistido ao longo dos anos, é por vezes a facilidade com que mudamos. Afinal não somos assim tão pouco receptivos à mudança! Falo em mudar de imagem, de identidade, logotipo. Este ano fazemos um logo, daqui a um ano, o que se vê muito é outra coisa, então mudamos outra vez. A verdadeira essência de uma marca fica assim perdida pelo meio. Porque é tão fácil mudar, porque o DIY chegou a todos. Porque o que está na moda agora é outra coisa e até achamos giro. Mas um logo não tem modas, nem muito menos tem de entrar nela. Um logo não é feito a pensar na pessoa que o pede, mas sim nos clientes que quer ter. Muda-se porque apetece.

Não estou a dizer que sou contra a mudança, mas temos de perceber bem mudar porquê? Justificar num ponto de vista de missão e objectivos da marca.

Nota: a foto de destaque do post são os esboços para uma nova marca. Tudo começou mesmo pelo desenho, pelos rabiscos, cores e testes. Ainda se passa muita coisa fora do computador e de softwares.

Sem comentários
Artigo Anterior
31 Julho, 2017
Artigo Seguinte
31 Julho, 2017

Sem comentários

Deixar comentário

Instagram

  • Monday's like this 😍 começar a semana assim e pensar que setembro não passou, ultrapassou-me sim por todos os lados e o tempo correu sempre à minha frente. 😂
  • Tudo começa por uma ideia que passa depois para o papel. E depois é construir 🙌🏻 #vaiacontecer #abasestudio
  • Mummy little helpers 👭Os mestres de obra vieram fazer a inspecção 😂
  • Não tem sido combinado nem de propósito mas o início de setembro tem sido marcado por fotos deste género 😅 a sintonia que me move, assim me puxa para tal, e mais uma vez setembro vai ser o meu mês de concretizações pessoais! Principalmente de crescimento. São tantas as novidades e mudanças que até tenho medo de as começar a contar 😁 mas amanhã já começam as novidades! 🙌🏻
  • Todos me querem mudar o chão. Está em bruto, tem buracos, riscos e está tordo. Mas fazer o quê? Eu gosto dele mesmo assim! Nem tudo é perfeito e direito mas sim diferente e com personalidade. E por agora é a mesa de trabalho 😅#ochaofica
  • Nunca foi tão importante para mim apoiar-me e receber conselhos de várias pessoas como nesta altura. Hoje começo uma nova etapa de tudo… de mim, do meu trabalho, das pessoas. Basicamente uma nova etapa na minha vida! Tenho um discurso na cabeça ao estilo de “óscares” com nomes que tenho de mencionar e acima de tudo agradecer, porque de facto tenho tido o apoio de muitos e companhia ao longo destes últimos tempos. Mas hoje, começo por brindar a uma só pessoa, a mim. Por ter a sorte de me cruzar com vocês, por ter o privilégio de trabalhar grandes projectos, e por partilharem comigo os vossos sonhos. Hoje partilho o meu: aqui vai nascer um novo espaço! 
E como prometido, e o primeiro conselho que tive, começo assim, um brinde a todo este movimento. O resto vem. #brindemos

Follow Me!