Category

Faz isto na tua marca

Faz isto na tua marca Vida de Freelancer

Porque devemos de ter uma mesa sem computador

Mesa sem computador

Foi uma das decisões que tive para 2017, tenho de ter uma mesa de trabalho sem teclados, ratos, monitores, discos, e tudo o que seja cabos, pens ou portas USB. Pois que todos os dias o meu trabalho é à frente de um monitor, e verdade é que sem ele nada avança nesta rotina de trabalhos e afins. Mas a quantidade de notificações, pings aqui, pongs ali… apps para desktop — que confesso só este mês é que instalei o Viber e o Whatsapp no Computador, porque não queria mais apps a saltitar no meu Dock, mas já me deixei levar.

Ler Mais

4 Comentários
Faz isto na tua marca

Como não levar o trabalho de férias

Quando somos freelancers, ir de férias é tipo uma miragem que vemos bem lá ao fundo. Queremos e não queremos. A vontade é grande mas depois, ter de “fechar a loja”, dizer que não vamos estar disponíveis, deixa-nos um pouco apreensivos. Assustados até. Verdade, é que muitas vezes, até fui de férias e nem disse nada. O meu escritório é onde estou, e um portátil na mala é tão normal como andar com a carteira no bolso [ou o telemóvel]. E, esta é a verdade, posso ir mas vou de trouxa às costas, um portátil, uma drive e um bloquinho de notas. E cada oportunidade com wifi é uma conquista.

Ler Mais

Sem comentários
Faz isto na tua marca

Limpezas de primavera no nosso negócio

Adoramos limpezas. Ou então não. Mas a verdade é que com a mudança de estação, este sol que finalmente resolveu aparecer, e as temperaturas a aumentarem, a vontade de mudar o nosso roupeiro já chegou. Este sentimento, ou até mesmo esta necessidade surge quando algo à nossa volta muda, e com isso vem também a necessidade de fazer algo de novo ou diferente.

O mesmo acontece no nosso dia-a-dia, no nosso trabalho, até mesmo no nosso escritório — queremos que ele acompanhe a mudança do tempo. E porque não aproveitar os dias longos, as limpezas de Primavera, e dar uma limpeza também no nosso negócio? Até a fazer limpezas podemos ter novas ideias. Estranho, isto de dar uma limpeza no nosso trabalho? Eis algumas dicas que vos podem ajudar a dar um refresh na vossa marca.

Ler Mais

Sem comentários
Faz isto na tua marca

Avalia o teu site e faz melhor.

Normal é avisar das mudanças quando já estão feitas mas o propósito agora é outro: planear a comunicação para o próximo ano e mudar com o que aprendemos no ano que passou. Acima de tudo é fazer balanços do que aconteceu, do que poderia ter corrido melhor, do que nos esquecemos de fazer e pôr em marcha as ideias que não chegaram a vir ao de cima.
A começar pelo nosso espaço virtual, seja um blog ou um site, ele não tem de estar sempre igual, os conteúdos podem mudar, o design pode ter melhoramentos ou até mesmo evoluir.
O meu site foi todo renovado em Setembro deste ano e a mudança de plataforma foi o principal objectivo. Passar de um site estático para um dinâmico, onde o portfolio fosse o centro da narrativa era a maior mudança que queria fazer. E assim foi, passei a ter um portfolio com melhor acesso, dividido por categorias, onde em cada trabalho conto a sua história e onde mostro várias etapas e trabalhos do mesmo cliente. Perfeito!
A outra grande mudança era ter a parte da formação e workshops mais legível, que fosse mais fácil perceber que workshops tenho e o programa de cada um. Isso também foi facilmente alterado, agora com o novo site.
A verdade é que apesar de um site ser algo mais estático do que um blog, eu quis ter um site que fosse dinâmico, e que fosse facilmente actualizado com novos trabalhos.
A mudança de plataforma foi o que permitiu toda esta dinâmica, passei a ter um site em WordPress. E aqui fez-se luz, perdi a fobia que tinha com o WordPress já há alguns anos, e passei a adorar o backoffice e a ser autónoma a editar conteúdos [desculpa WordPress, por nos últimos anos andar um pouco de costas voltadas para ti].
Eu edito, mexo e altero quase tudo no site, quando quero e como quero. Cada vez que tenho um projecto novo, é tão fácil de o inserir no portfolio que o faço no momento do seu lançamento.

Por isso, vamos analisar, avaliar e melhorar. O nosso site ou blog merece toda a nossa atenção e não deve ser um descuido ou deixado para segundo plano.

Homepage, o que vou mudar?
A primeira visita começa quase sempre por aqui, é capaz de ser a página mais importante de um site, e talvez aquela que nos dá mais trabalho a editar e a actualizar.
O que vou mudar?
– As fotos do slideshow vão passar a ser fotos minhas em “acção”, relacionadas com projectos. Pois este ano houve um aumento de trabalho a nível de sessões fotográficas onde trabalhei directamente com o cliente.
– As fotos dos serviços vão também mudar.
– O número dos “últimos trabalhos” vai também aumentar, quero mostrar mais trabalho na homepage.
– Talvez vá surgir um pop-up numa primeira visita ao site com a subscrição da newsletter (isto ainda a estudar).

A equipa vai mudar
Ou melhor, vai crescer. Ela já cresceu e já estamos todos a trabalhar em equipa. Mas vão surgir novas caras na equipa. A ideia da Lance e o texto vai ser melhorado, quero explicar melhor como trabalhamos e como funcionamos… às vezes ainda surgem dúvidas.
Talvez aqui surja uma área de parceiros, pessoas às quais por vezes recorro e recomendo.

Avaliar os serviços
Ao longo do ano vão surgindo dúvidas dos clientes sobre o que fazemos. Também aqui nesta página vou inserir algumas coisas que não estão e que de vez em quando me perguntam se fazemos.
Os serviços combinados vão deixar de existir, não porque não tenhamos feito vários, mas porque no fim acabamos sempre por os alterar de modo a serem mais personalizados e fazer à medida de cada cliente. Isto foi algo que aprendemos no último ano: packs combinados acabam sempre por serem alterados.

A página de formação vai ser a grande volta
Esta área de formação e treino vai dar uma grande volta, não porque vá deixar de existir. Os workshops vão se manter e o novo calendário de formações vai ser lançado para 2016. Mas aqui tenho uma grande novidade, que ainda está em fase de teste, não prometo já para Janeiro porque requer uma preparação maior, mas vai ser uma coisa gira que me está a deixar muito entusiasmada e acho que vão gostar, e muito.

E clientes?
Só está em cima da mesa ainda uma questão: quero inserir testemunhos de clientes. Talvez insira na própria página do trabalho, mas provavelmente os testemunhos vão ganhar destaque também na página de serviços. O que dizem do meu trabalho tem sido tão bom e gratificante que quero partilhar com vocês.

Passaram apenas 3 meses desde o lançamento do novo site, e é o tempo suficiente para se fazer um primeiro balanço e avaliar o que pode ser melhorado. É importante não nos esquecermos da nossa casa, onde comunicamos e onde expomos o nosso trabalho, é este o ponto de partida para evoluirmos.

Olhem para o vosso site ou blog e vejam as críticas construtivas que têm recebido nos últimos meses, ou sugestões que têm feito. O que acham que podem melhorar?

Filipa Simões de Freitas
www.lancecollective.com

4 Comentários
Faz isto na tua marca

Letras para o Natal

No Natal tudo acontece e cada vez mais os presentes feitos e os pormenores para decorar são personalizados e “homemade”.  Por isso para fazermos coisas ainda mais bonitas e originais, aqui fica uma coleção de tipos de letra para usarem nos vossos postais, etiquetas, e por aí fora.
Não se esqueçam de partilhar 🙂

1. DK Clair De Lune  2. Mountains of Christmas  3. Barkants White  4. Austie Bost Versailles  5. DK Father Frost  6. KG Hard Candy Striped  7. madame klara  8. Matilde Sketch  9. Pink Ladies and Peanutbutte  10. Stars From Our Eyes

Filipa Simões de Freitas
www.lancecollective.com

Sem comentários
Faz isto na tua marca

5 razões porque ninguém anda a ler o teu blog.

– Porque é que não consigo atrair leitores?
Esta é uma das muitas perguntas que já me fizeram sobre blogs e antes mesmo de percebermos o que poderia correr melhor temos de ter em mente qual é o objectivo do blog. Sim, o que queremos alcançar com um blog. Não basta criar um blog e esperar que chova.
Se nos dias de hoje novos blogs crescem que nem cogumelos também é verdade que o interesse neles vai diminuindo. Porquê? Porque publicidade vemos nós na televisão e no meio de tanta informação, igual ou parecida começa a ser difícil nos destacamos. Ninguém gosta ver mais do mesmo [várias vezes].

#1 o teu conteúdo não é de todo útil
Se queremos ter audiência temos de dar algo em troca, temos de informar, de ser úteis, só assim não somos ignorados. Primeiro temos de saber exactamente para quem estamos a escrever de modo a perceber o que lhes interessa e como podemos chamar a sua atenção. É difícil ganharmos audiência para o nosso blog se só falamos do nosso dia-a-dia e com isso não trazemos nada de novo. A questão é dar a volta e tornar o nosso conteúdo útil a quem nos lê. Criar tutoriais, explicar como fazer coisas, ajudar a organizar algo que sabemos fazer bem. Não basta partilhar o que gostamos mas sim ir mais a fundo na questão. O melhor teste é nos colocarmos no papel de quem nos lê.

#2 o design do teu blog não apaixona
O primeiro impacto é muito importante e quando chegamos a um blog temos que fácil e rapidamente perceber como ele está organizado. Não basta ser bonito tem de ser funcional.
Não vale escolher um tipo de letra diferente para cada post, ou colorir os títulos consoante o tempo ou a nossa disposição. Temos de olhar para o blog como um todo, com uma imagem coerente e que se perceba que ali existe uma preocupação de escrever bem e de atrair o leitor.

#3 Redes sociais a menos
Se o blog é a nossa casa temos de criar caminhos até ela, fazer um mapa e assinalar onde estamos. Basicamente é esta a função das redes sociais em torno do nosso blog, são elas que vão buscar leitores, que vão divulgar o nosso conteúdo e informar onde estamos. Este pode até ser um dos tópicos mais importantes para fazer crescer um blog, pois o poder das redes sociais hoje em dia é muito grande. Cada rede tem o seu funcionamento e o seu público, assim se usarmos vários meios conseguimos chegar a várias pessoas, logo criar tráfego no blog.
É tudo uma questão de estratégia, não vale começar a disparar para todas as redes sociais da mesma maneira, há que compreende-las e definir uma estratégia de ataque. É na rede que vamos criar diálogo, fazer conversa e levar o leitor até ao blog.

#4 Perdeste o foco?
Foca-te naquilo que queres escrever, naquilo que gostas de modo que o leitor perceba o que se trata no teu blog. Podemos gostar de muita coisa e fazer outras tantas mas a nossa escrita e a maneira como a fazemos ajudam a dar um rumo a cada post que escrevemos. Não vale a pena confundir mais a nossa audiência, já existem demasiados blogs e temas.
Se o teu blog é sim variado e fala de muita coisa, é mais difícil conseguir chegar rapidamente a uma grande audiência mas não é impossível. Isto pelo simples facto que o leitor não vai tão facilmente à nossa procura porque o nosso blog tanto fala disto como daquilo.

#5 Sem pedalada
É preciso ter pedalada para aguentar com um blog. Sim, temos de ter ritmo. Se hoje temos um post bom não podemos depois estar 3 semanas sem escrever, assim perdemos quem nos leu no post anterior. O mesmo se passa para as redes sociais, não podemos estar muito tempo sem dar notícias. Queremos ter uma presença forte online e é para isso que temos de trabalhar.

Estas são algumas sugestões de como temos de perceber melhor como o nosso blog vai funcionar e o tempo que queremos dedicar a ele é muito importante para definirmos as nossas metas.

Perguntinha: numa semana quanto tempo dispõem para o vosso blog?

Filipa Simões de Freitas
www.lancecollective.com

2 Comentários
Faz isto na tua marca

Quando tempo demora um site a fazer?

É daquelas perguntas que podia dar um filme, pois a resposta vai ser sempre diferente. Porquê? Porque os sites são feitos por pessoas para outras tantas pessoas e como tal somos todos diferentes – não há trabalhos iguais. Assim como não há orçamentos iguais, pois os sites podem começar todos da mesma maneira mas depois são personalizados e vão mudando consoante o cliente.
Claro que temos sempre de ter um planeamento, um guia para termos noção dos timmings. Esta fase é muito importante para qualquer projecto quanto mais para se ter um site online.

– Eu quero ter um site online
Esta é a primeira certeza antes de se pedir um orçamento. Mas mesmo antes de pedir um orçamento vamos encurtar aqui o tempo de execução, vamos tentar já definir o que queremos para o site pois também vai influenciar o orçamento e ajuda logo a perceber a dimensão do trabalho.
Contem com 2 semanas para organizar ideias e pedir orçamentos.

– Orçamentos, avaliar e decidir
Entre pedir orçamentos, obter respostas e decidir vão alguns dias, semanas até. Porquê? Porque com o orçamento vêm sempre dúvidas, dúvidas importantes que até aqui não nos tinhamos lembrado e que nos vão fazer pensar de novo. O valor do orçamento também nos faz pensar que se calhar era mesmo o  que estávamos à espera, ou que se calhar estávamos a sonhar alto e não conseguimos ter tudo o que queríamos logo de início no site. Se já tivermos um budget então vamos logo começar por aí e informar quando pedimos o orçamento.
Por esta altura, com o orçamento à frente acontecem duas coisas: ou começamos a projectar o site à séria, ou deixamos a coisa marinar por tempo indeterminado.
90% dos orçamentos para sites não avançam logo a seguir ao pedido de orçamento mas sim depois de muitas trocas de emails.

– 1, 2, 3 Vamos lá
Após a decisão de que vamos mesmo ter um site online começam os trabalhos. Quem vai fazer o site precisa do máximo de informação sobre o mesmo. É uma grande ajuda que o cliente faça o seu trabalho de casa e comece a pensar no que quer. O melhor mesmo é começar a desenhar o mapa do site. Desenhar mesmo, pegar na caneta e no papel e começar a desenhar as páginas, os conteúdos, etc. Este desenho vai nos ajudar a perceber e a organizar os conteúdos.
Não se iludam, esta fase é das mais prolongadas na execução de um site.

– Zeros e números
Quando chegamos à parte de programar, de começar a mexer e a ver mexer começamos a ver tudo a acontecer. Esta é a fase das maquetes, dos desenhos, dos layouts, de mostrar ao cliente, volta para trás, faz de novo, ajusta, altera, aprova, avança… É aqui que tudo acontece e é aqui que levamos mais tempo. Um mês? É capaz de ser pouco.

– Até quando?
Fase a fase é importante estabelecer prazos. Até quando é preciso enviar informação? Até quando enviam a maquete? E por aí fora. Os prazos funcionam para ambos os lados, para quem faz e para o cliente.

– Voilá
Está pronto o site. Mas é preciso mais alguma coisa? Provavelmente sim. Preparar a sua chegada ao mundo virtual: a divulgação do site, fotos especificas, imagens que queremos usar para anunciar o site, etc. Toda a comunicação que vai apoiar e ajudar a divulgação do site também fazem parte do plano.

Exemplo prático
O novo site da Lance Collective demorou 1 mês e meio, mais coisa menos coisa. Mas neste caso começámos logo na fase de desenhar o mapa do site, pois aqui o cliente era eu e quem fez o site também fui eu 🙂 Por isso fui fazendo o site porque já sabia bem o que queria mas mesmo assim ao fazer o site houveram páginas que mudaram, textos que trocaram de sítio e ideias de última hora que surgiram.
O que demorou mais tempo? Carregar conteúdos. Inserir todos os trabalhos no portfolio com respectivas imagens. Cortar imagens, fazer textos e traduzir são das tarefas que mais tempo levam.

O tempo que um site demora a fazer é sempre subjectivo, depende de nós, das nossas ideias e da arrumação das mesmas. Mas pensem sempre que um site demora a nascer, é algo que tem de ser bem feito, é a nossa presença online que está em jogo e se alguém diz que faz um site num ápice é porque é mesmo um mestre do Kung Fu Panda.

Visitem o site novo: www.lancecollective.com

Filipa Simões de Freitas

Sem comentários
Faz isto na tua marca Redes Sociais. Para que vos quero.

Faz sentido ter um Pinterest para a minha marca?

Horas, muitas são as horas que passamos no Pinterest. Verdade? Então se passamos lá muito tempo a ver coisas bonitas, se muitas são as pessoas viciadas nesta rede social porque é que não tiramos partido disso para o nosso negócio, blog ou site? Já pensaram nisso?
Esta fantástica rede social é um agregador de inspiração, de toneladas de criatividade e até um forte motivador para nos por a mexer. A verdade é que quando vemos, quando estamos a olhar para uma fotografia sentimos muito mais perto essa emoção, essa vontade. Quando algo está presente e à nossa frente somos facilmente conquistados. As relações criam-se a partir de afinidades e interesses em comum e isso é basicamente a essência do Pinterest. Nele podemos juntar a informação que gostamos, seguir quem queremos e descobrimos o que andámos à procura.
Mas para fazermos alguma coisa nesta rede social temos acima de tudo usá-la. Temos de usar, experimentar, perceber como funciona, partilhar e só depois estamos à vontade para usar o Pinterest como um bom meio de divulgação do nosso negócio. Porque se não soubermos como funciona também não vamos perceber como tirar partido e acima de tudo temos também de perceber se faz sentido ter esta rede social para o nosso negócio.

O que é o Pinterest?


É um mural virtual onde descobrimos,

juntamos e partilharmos aquilo que gostamos,
que queremos ou que ambicionamos.




Faz sentido ter um Pinterest para a minha marca?
O meu público-alvo está no Pinterest?
Avaliar o target do nosso negócio é o mais importante para sabermos que estamos a falar com as pessoas certas e da maneira correcta.

A minha marca já está presente noutras-redes sociais?
É importante avaliar a nossa comunicação para cada rede social. Todas têm metodologias próprias e a comunicação deve ser feita individualmente para cada uma. Se o Pinterest é a primeira rede social a ser criada temos de estar certos que efectivamente é a mais indicada para o nosso negócio.

Quais os meus objectivos para o Pinterest, o que pretendo alcançar?
Como em todos os objetivos de um plano de marketing temos de saber o que pretendemos alcançar com uma nova rede social. O Pinterest é uma rede social óptima para trazer tráfego ao nosso site e aumentar a notoriedade da marca.
Consigo partilhar conteúdos além daquilo que faço?
Para nos ligarmos aos utilizadores e criar uma relação de partilha e descoberta, temos de criar valor. Para isso temos de perceber o que inspira o nosso target no Pinterest e ir ao encontro dele.

Tenho o Google Analytics a funcionar para perceber se o Pinterest tem sido/ ou vai ser uma fonte de tráfego?
Se já temos uma conta no Pinterest, já avaliámos se esta a provocar tráfego no nosso site? É a melhor maneira de percebemos se estamos a ter sucesso na nossa missão.

Tenho recursos para manter uma conta business no Pinterest?
Não basta criar uma conta e deixá-la aberta. “O que não se mexe, não se vê”. É importante trabalhar a rede de forma coerente e assídua.
Para quê criar uma conta business no Pinterest?
Demonstramos personalidade através do que partilhamos
– As marcas partilham imagens que retratam os seus valores, e divulgam ideias e produtos do seu negócio.
– Criam uma relação com o consumidor para além da venda de serviços/ ou produtos. Criam uma relação de “amizade” e empatia.
– Interagem com os utilizadores, muito mais do que um canal apenas de venda/ promoção directa.

Resumindo criamos uma relação entre a marca e quem a segue.

texto: Filipa Simões Freitas

Sem comentários
A Tribo também escreve Faz isto na tua marca

2016 já chegou. Está na altura de preparar as nossas marcas para o próximo ano.

É verdade, 2016 já está aí e está na altura de começar a olhar para o calendário [literalmente].
Fazer um calendário é ainda uma boa prática de comunicação, um material bonito e útil que podemos oferecer aos nossos clientes ou até vender como um produto da nossa marca. Mas a verdade é que só nos lembramos disto no final do ano.
Se estão a pensar fazer um calendário para 2016 já deviam de estar a faze-lo e não apenas a pensar. Esta é a altura do ano em que se começam a desenhar os calendários para o próximo ano e para entrarem em produção antes mesmo das férias de verão.

A prestigiada marca Rifle Paper Co. já tem agendas para 2016 para venda e planners para “preorder“. É assim que se faz negócio 🙂

No ano passado chegou até mim um calendário da Simplesmente Branco e não podia ser outra coisa senão uma peça bem bonita que mereceu todo o destaque no atelier da Lance. É um A3 com todos os meses de 2015, uma visão rápida do ano que está na parede do cowork e acessível a todos. Bonito, bem feito e que foi uma surpresa para lá de boa. É este o efeito de surpreender e de mimar os nossos clientes.

Porquê fazer calendários?
1. Uma peça bonita e bem feita surpreende sempre quem a recebe.
2. Calendários vão sempre existir pois existe essa necessidade – há que aproveitá-la.
3. Planear com tempo permite criar uma peça original e bem conseguida.
4. Surpreender e ser o primeiro “ainda” é um factor diferenciador.
5. Mimar os clientes vale mais do que qualquer publicidade.

       Rúbrica de:

Sem comentários

Instagram

  • Hello weekend! 😊
  • Pequeno esquimó ❄️
  • Tudo de quarentena em casa! 😷🤒 não parece mas está tudo doente...
  • Sunday’s at work and I like it. A minha Base tem estado tão bonita e colorida nas últimas semanas! 😁👉🏻 @ireneillustrationschool
  • Always looking forward!! I’ve been working on a new studio. My design studio @abasestudio 😊 the doors are now open. E houve festa, casa cheia e eu e a @ritacvlove terminámos a noite a dar cabo das pipocas da @joanamlimao 😜 📷 @rscapture 💄 @lara.mourisca
  • Monday's like this 😍 começar a semana assim e pensar que setembro não passou, ultrapassou-me sim por todos os lados e o tempo correu sempre à minha frente. 😂

Follow Me!