Vida de Freelancer

Aqui, quem manda sou eu.

Não que eu tenha isto em mente, mas a título de curiosidade fui contar os anos. Mais precisamente, 5 anos, sem patrão. Chefe. Director… o nome que quiserem dar a quem temos de prestar contas no trabalho. Não foi a decisão que eu queria na altura, ou pelo menos julgava eu não estar preparada para me virar sozinha. Mas depois de um chefe mauzinho, um patrão ainda pior e uma carta de despedimento, tive mesmo de me virar sozinha. Arranjei um chefe melhor e, um patrão como eu — promovi-me a tal.

Hoje, sou o que sou, porque o destino assim me cruzou. Virei-me. Sozinha, com ajuda, e com sonhos. Se era para trabalhar para mim, que fosse por mim. E, por vezes, temos de nos lembrar disto, é por nós. Porque queremos ser independentes, porque queremos fazer o que realmente gostamos, por isso, façamos. Podemos escolher o que queremos, e o que não queremos fazer.

Agora, não vamos ter ilusões, é tudo mais trabalhoso, mais intenso e muito mais emocional. Afinal, estamos a vestir a pele do patrão, do trabalhador, do contabilista, do account e por aí fora. Trabalhamos mais, fazemos mais também e, por mim falo, tenho muito mais orgulho agora nas minhas conquistas e no trabalho que tenho vindo a construir. Não interessa se o nosso 100% é menor que outros, o que interessa é que trabalhamos por nós, por isso, é o nosso empenho e a nossa personalidade que fazem o factor único nos nossos serviços. Podemos ter uma marca com um grande nome, ou não, mas o objectivo é trabalharem connosco, pessoas com pessoas. Sonhos com histórias e sucessos. O resto acontece.

Hard work. Better life.

 

1 comentário
Artigo Anterior
26 Abril, 2017
Artigo Seguinte
26 Abril, 2017

1 comentário

  • Freelancing, no Dia Digital do Factory Braga com Filipa Simões de Freitas

    […] Perante os desafios que temos pela frente, cada um de nós reage à sua maneira. Por isso, o método de como eu abordo, por exemplo um cliente, não tem de ser um método igual para outros freelancers. Cabe a cada um de nós arranjar os seus meios e mecanismos de organização de modo a ter a capacidade de gerir o seu próprio trabalho. Não há uma fórmula que eu possa dizer em como organizar o dia da melhor maneira, para, por exemplo, conseguir responder aos emails todos num dia. Não há fórmulas universais, mas sim mecanismos, rotinas nossas, que implementamos e fazemos à nossa medida. […]

Deixar comentário

Relacionados

Instagram

  • Let’s do this. One more week 👊🏻 #freelancer
  • Tardes de trabalho de outono agora são assim. Vive-se bem aqui n’ @abasestudio 🍰 ☕️ @liptonportugal 💡@lancecollective #eunabase #designerlife #graphicdesign #teatime
  • Designer que é designer está sempre atenta! 😅 @meninaines #noitesdedesigners #designer
  • Com a quantidade de coisas que já fiz só numa segunda de manhã, e agora que ia começar a fazer a lista de to-dos do dia... parei. Vou fazer isto de cara laranja porque a semana promete e eu preciso de qualquer coisa deste género 🙃 Nada de skype calls nos próximos minutos 😝 @apivitaportugal #facemask #apivita #expressbeauty
  • Abre os olhos mulher! Não vale a pena fingir mais que o ano ainda não acabou. Tudo o que é trabalho já está all booking até ao fim do ano. Afinal amanhã já é novembro, como quem diz já é quase Natal, como quem diz Bom Ano Novo. Como quem diz “passou rápido este ano” 😵 Sem pressão 😅 Ou então não 😜
  • Isto tem sido uma loucura 🤓 Mas uma pessoa é forte! 👊🏻

Follow Me!